Itapajé: Governo do Estado não se compromete com a construção de novo hospital e nova avenida

Areninha de Itapajé garante oportunidade para a formação de novos talentos para o futebol
15 de abril de 2019
Incêndio atinge a Catedral de Notre-Dame, em Paris
15 de abril de 2019

 

 

Durante inauguração da Areninha de Esportes Dr. José Sebastião Neto, no bairro Ferros, ocorrida no início da noite do último sábado, dia 13 de abril, o governador Camilo Santana, ao ser indagado sobre a possibilidade de o Governo do Estado financiar ou fazer a execução direta das obras de um novo hospital no município de Itapajé, frustrou as expectativas de muitos ao dizer que a política de saúde de seu governo é construir e financiar o funcionamento de hospitais regionais e policlínicas. Esses equipamentos são construídos em cidades pólo, como Caucaia e Sobral, por exemplo, e atendem aos municípios do entorno, distribuídos em Coordenadorias Regionais de Saúde (CRES), através de consórcios com as prefeituras e mediante a transferência de pacientes através de transportes sanitários. Camilo informou que é inviável construir novos hospitais em todas as cidades. Apesar disso, informou que levaria a demanda para análise da Secretaria Estadual da Saúde.

 

Avenida da Universidade

 

Também o secretário estadual da saúde, Zezinho Albuquerque, não quis se comprometer com o estabelecimento de datas para a construção de uma importante obra de mobilidade urbana para Itapajé. A Avenida da Universidade, que seria construída sobre o Rio São Francisco, interligaria a Avenida Osmar Bastos à Rua Bento Soares Guimarães, proporcionando um novo itinerário para o tráfego dos trabalhadores da indústria de calçados Paquetá Nordeste, além de facilitar o fluxo de caminhões de entrega de insumos e de transporte da produção da empresa. A Avenida da Universidade também seria um importante corredor para a interligação entre o campus da Universidade Federal do Ceará (Jardim de Anita) ao Centro da cidade sem a necessidade de passagem pela Ponte do Piau.

 

Albuquerque informou que a prioridade de sua pasta é dar prosseguimento às quase três mil obras paralisadas no estado para posteriormente ‘tocar’ novos projetos.