Papa Francisco lava pés de presidiário brasileiro em cerimônia da Quinta-Feira Santa

Jovem é assassinado a tiros na cidade de Maranguape
18 de abril de 2019
Itapajé: Dimas Cruz fala sobre Marcha dos Prefeitos, emendas do deputado Leônidas Cristino e transporte escolar
18 de abril de 2019

O Papa Francisco lavou e beijou os pés de 12 prisioneiros em um ritual tradicional de Quinta-feira Santa, nesta quinta (18), em uma prisão na cidade de Velletri, a cerca de 60km de Roma. Um dos 12 presidiários era um brasileiro, segundo a agência de notícias Reuters, mas o nome não foi divulgado.

Durante o ritual, o pontífice disse a eles que evitem qualquer estrutura de hierarquia interna ou lei dos mais fortes e ajudem uns aos outros. Além do brasileiro, nove italianos, um marroquino e um marfinense tiveram os pés lavados. O Vaticano também não divulgou as religiões deles.

É a quinta vez desde sua ascensão ao papado, em 2013, que ele faz esse gesto, que comemora a humildade de Jesus para com seus apóstolos na noite anterior à sua morte, na cadeia.

Francisco quebrou com a tradição de seus antecessores: enquanto eles costumavam realizar o rito em uma das grandes basílicas de Roma, lavando os pés de 12 sacerdotes, o Papa transferiu-o para locais de confinamento, como prisões, centros de imigrantes ou casas de idosos. No passado, católicos conservadores criticaram o Papa por lavar os pés de mulheres e de presos muçulmanos.

A prisão de Velletri, superlotada como a maioria das prisões italianas, detém, na maior parte, estrangeiros por crimes comuns. Uma seção dela tem, no entanto, prisioneiros que colaboraram com os investigadores e, assim, recebem proteção especial.

Fonte: G1.com

Atitude Online