Dia de paralisação nacional: nenhum ônibus está circulando em Salvador

Manifestantes bloqueiam rodovias em Pernambuco em dia de protestos pelo País
14 de junho de 2019
Tendência é de chuvas no Ceará continuarem no fim de semana, aponta Funceme
14 de junho de 2019

Quem precisar de ônibus nesta sexta-feira, 14, em Salvador não terá disponíveis os veículos convencionais. Nenhum dos cerca de 2,7 mil veículos da frota regular está nas ruas segundo informações confirmadas pelo Sindicato dos Rodoviários do Estado da Bahia. Os representantes do sindicato informaram que estão nas garagens das empresas comunicando aos motoristas e cobradores sobre a adesão ao movimento.

Em função da adesão, a Prefeitura de Salvador autorizou a circulação de 300 micro-ônibus do Sistema de Transporte Especial Complementar (STEC), os “amarelinhos”. De acordo com a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), a estratégia foi adotada para suprir a demanda de transporte da população.

Os micro-ônibus vão operar em roteiros específicos da cidade. Por se tratar de uma operação especial, os veículos vão operar com itinerários flexíveis, de acordo com a demanda.

Além disso, a Semob autorizou a circulação de pelo menos 800 veículos do Transporte Escolar e do Transporte Turístico, que rodarão sem alteração no valor da tarifa, no valor de R$ 4.

De acordo com a Central Única dos Trabalhadores (CTB), os microônibus metropolitanos também aderiram à greve.

Segundo a Semob, a paralisação dos rodoviários nesta sexta ocasionará uma multa por “descumprimento de obrigação essencial dos contratos de concessão”. O valor da multa é de R$ 1,120 milhão por cada dia paralisado, dividido entre as três empresas do Consórcio Integra.

“Os serviços devem estar continuamente disponíveis aos usuários, não podendo ser usado como justificativa greve de trabalhadores, comoções sociais ou protestos públicos que inviabilizem a prestação dos serviços ou reflitam no aumento de custo”, disse a Semob por meio de nota.

A CCR Metrô Bahia informou que a operação do metrô iniciou normalmente às 5 horas, com cinco trens circulando na Linha 1 e nove trens na Linha 2, e quatro ônibus (shuttle) entre o Aeroporto Internacional e a Estação Aeroporto. Neste momento, a operação conta com 14 trens circulando na Linha 1 e 19 trens na Linha 2, e quatro ônibus (shuttle) entre o Aeroporto Internacional e a Estação Aeroporto, conforme programação habitual em horários de pico, em dias úteis.

“A concessionária informa ainda que 100% dos seus colaboradores estão trabalhando demonstrando, uma vez mais, seu compromisso com a população e com a mobilidade urbana”, destacou a CCR, em nota.

Os trens que ligam a Calçada a Paripe, por sua vez, também não estão funcionando.

 

Fonte: Do Correio

Atitude Online