Tendência é de chuvas no Ceará continuarem no fim de semana, aponta Funceme

Dia de paralisação nacional: nenhum ônibus está circulando em Salvador
14 de junho de 2019
Governo acaba com obrigatoriedade de simulador para tirar carteira
14 de junho de 2019

As condições meteorológicas observadas pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) na manhã desta sexta-feira, 14, indicam continuidade das chuvas até, pelo menos, o próximo domingo (16). Para esta sexta, a tendência apontada pelos meteorologistas segue sem mudanças. A indicação é de céu nublado com eventos de chuva no centro-norte do Estado. Já para o sul, há possibilidade (precipitação de 5% a 20% da área).

No sábado, 15, as macrorregiões do Maciço do Baturité e Jaguaribana terão chuvas isoladas, além da faixa litorânea. Ou seja, a área de abrangência será relativamente menor. Já para as demais áreas, a previsão é de apenas nebulosidade variável.

Por fim, para o próximo domingo, a Funceme prevê uma nova redução na área de abrangência do Ceará. A indicação é de possibilidade de chuva no litoral, no Maciço de Baturité e na região Jaguaribana. Nas demais áreas, céu variando entre claro e encoberto ao longo do dia.

Registrando forte chuva desde a madrugada desta sexta-feira, 14, Fortaleza alcançou 92 milímetros entre 7 horas dessa quinta, 13, e 7 horas da manhã desta sexta. Alagamentos foram registrados em pontos conhecidos da cidade. Nessa mesma manhã, também acontece uma greve nacional contra a reforma da Previdência e corte de verbas para a Educação.

 

 

 

Previsão para mês de Junho

 

 

 

De acordo com a Funceme, nessa época do ano não costuma-se fazer previsão mensal. Assim, essa previsões são de curto prazo, no máximo três dias. Isso acontece porque estamos em um período diferente da quadra chuvosa. Na quadra, quem atuava era um sistema de zona de convergência, que permitia previsões mais longas. Agora, esses sistemas são de curto prazo, durando de três a quatro dias.

Apesar do fim da quadra chuvosa em maio, as chuvas em Fortaleza continuam alcançando milímetros significativos. Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (FUNCEME), isso acontece por conta da atuação do DOL, o Distúrbio Ondulatório Leste, um sistema indutor de chuvas que está atuando no Estado na pós-estação. Com ele, áreas de instabilidade de ventos avançam para o continente vindas do oceano Atlântico, geralmente entre junho e agosto, atingindo, principalmente, a costa leste do Nordeste.

 

Fonte: O Povo

Atitude Online