Com escola em reforma, alunos assistem a aulas embaixo de árvore na Região Metropolitana

Crateús: adolescente de 15 anos é procurado pela polícia suspeito de estuprar a mãe e irmão
18 de setembro de 2019
Uruburetama: jovem ocupante da garupa de um mototaxista morre após colisão no trânsito
19 de setembro de 2019

A reforma iniciada ao fim de julho deste ano na Escola de Educação Infantil e Ensino Fundamental Belo Monte, no município de Caucaia, deixou 67 estudantes sem espaço para assistir às aulas. Para dar continuidade ao ano letivo, uma das auxiliares de sala cedeu a própria casa e transformou os pequenos cômodos em salas de aula improvisadas.

A residência, porém, não comporta todos os alunos. Por isso, parte das mesas e cadeiras foram dispostas sob a sombra de um juazeiro próximo à casa, recorrendo ao ambiente ao livre para conduzir as aulas. Um total de 33 alunos compõem o turno da manhã, e 34 à tarde.

A Secretaria Municipal da Educação de Caucaia informa que a reforma está dentro do prazo de 60 dias, mas foi estendida em mais 30 “porque a equipe responsável pela reforma encontrou novas necessidades de reparo ou construção que não estavam previstas inicialmente”. A conclusão da reforma está prevista para o fim de outubro.

“Houve todo um planejamento para que os alunos não sejam prejudicados e o ano letivo transcorra normalmente. As aulas estão sendo lecionadas em um espaço provisório em Umari”, afirma a pasta, destacando que seria “inviável alugar um espaço em outra região”.

 

 

‘Pensei nos meus filhos’

 

 

 “Não tinha um espaço, e a reforma teria que acontecer. Como eu pensei nos meus filhos e nos alunos que não iam ter aula, eu cedi minha casa”, revela Elisângela de Sousa. Ela precisou mudar-se para a casa de sua mãe para esvaziar o quarto, que foi ocupado por uma lousa e prateleiras cheias de livros. “Eu me sinto muito bem com isso, porque estou ajudando ao próximo e eles não vão perder o ano letivo deles.”

A estudante Luciele Araújo idealiza estudar em uma escola “grande e com pátio”. “Lá tinha pátio, mas não tinha uma quadra que desse pra gente usar. Só é areia. Mas agora que tem a reforma, aí vai ser a quadra nova, o campo e um canto pra gente brincar”, espera.

Um “pensamento positivo” é a atitude adotada pela professora Maria Corrêa, que continua lecionando no local improvisado, tendo o aprendizado da classe como prioridade. “É difícil para as crianças que estão perdendo o recreio, mas a gente dá aula feliz, graças a Deus. Todo dia a gente se desloca e vem pra não prejudicar [os alunos]. Pra fazer uma reforma em casa já demora, imagine em uma grande escola”, diz. “Esperamos que eles terminem logo para nós voltarmos à nossa atividade, ao lazer dos alunos, porque eles precisam da recreação.”

Sala e quartos de casa também são usados como salas de aula improvisadas — Foto: Almir Gadelha/TV Verdes Mares

 

A obra contemplará, ainda de acordo com a Secretaria, toda a parte elétrica da escola, oito divisórias de alvenaria, a construção de uma nova sala para melhor acomodar a cozinha, construção de uma sala de professores, colocação de colunas em toda a estrutura do prédio, construção de um portão adicional na lateral e de uma coberta de 15 metros, do muro à entrada da unidade escolar.

Prefeitura pediu prazo de mais 30 dias para conclusão da obra de escola em Caucaia — Foto: Almir Gadelha/TV Verdes Mares

 

Fonte: G1/CE

Atitude Online