Itapajé: Se os índices de contaminação pela COVID-19 não caírem até o final da semana medidas drásticas podem ser adotadas

Os sete primeiros dias do mês de junho devem ser decisivos para a o futuro das políticas estaduais e municipais de controle da pandemia causada pelo novo corona vírus. Apesar de decretar a abertura gradual da economia, o governador Camilo Santana informou que caso a curva de contaminação pela COVID-19 continue a subir, o plano de retomada das atividades econômicas de setores considerados não-essenciais poderá ser revisto. No Decreto de prorrogação das regras de isolamento social Santana determinou a manutenção de medidas rígidas em Fortaleza e em outras sete cidades.

 

Um outro grupo de cidades do interior, dentre elas Itapajé, foi aconselhada a manter regras de isolamento mais severas que as demais. Isso porque nessas cidades o número de casos confirmados da doença é considerado alto, em relação aos índices estaduais.

 

Ao avaliar a recomendação o prefeito de Itapajé, Dr. Dimas Cruz, informou que seguirá o plano geral de reabertura econômica de forma gradual, pelo menos por enquanto. Dimas prorrogou Decreto municipal alinhado às diretrizes do estado, mas não descarta seguir a recomendação de endurecer as medidas de contenção da pandemia, caso os indicadores municipais não tenham redução.

 

Eventos e atividades coletivas públicos ou privados que causem aglomerações continuam suspensos, bem como o funcionamento presencial de instituições de ensino e a permanência de pessoas em vias públicas sem justificativa plausível. As barreiras sanitárias impostas para coibir a entrada de veículos de outras cidades em Itapajé continuam vigentes.

 

A utilização de máscaras faciais em espaços públicos e de visitação coletiva, inclusive durante o trânsito pelas ruas da cidade, continua obrigatória.

 

A volta ao trabalho de algumas indústrias, incluídas as indústrias calçadistas, está autorizada na forma do Anexo II do Decreto Estadual nº 33.608, de 30 de maio de 2020, com limite de número de funcionários por turno de trabalho.

 

Em entrevista recente o prefeito informou que caso se observe a elevação do número de pacientes contaminados pela COVID-19, o município poderá recorrer a medidas extremas como, por exemplo, instituir “toque de recolher”, de modo a restringir a circulação de pessoas a partir de horários estipulados pelo poder público.

 

Atualmente Itapajé tem 24 mortes por COVID-19. Já são 288 casos confirmados.

Veja Também