Arthur Cabral: o significado de investimento nas categorias de base

Atleta formado na base do Ceará se tornou o maior negócio da história do futebol cearense

 

Arthur Cabral representa o verdadeiro significado de investir nas categorias de base. Por vezes negligenciado, o setor de formação de atleta funciona como o coração de um clube de futebol: abastece o presente e projeta o futuro. Assim, a recompensa do Ceará Sporting Club é alcançada.

Tudo pelo simbolismo do atacante, recém-negociado pelo Basel, da Suíça, por 4,4 milhões de euros. O cálculo nos cofres do Vovô o torna o maior negócio da história do futebol cearense:

  • 2018 – Venda ao Palmeiras: R$ 5 mi
  • 2020 – Venda ao Basel-SUI: R$ 9 mi
  • ? – futura venda internacional: 15% do valor

Ao todo, R$ 14 milhões em receita por um atleta formado na Cidade Vozão, em Itaitinga. Lapidar um talento é raro, na magnitude de Arthur é mais ainda, mas a recompensa é técnica, financeira e de representatividade no mercado.

Alinhado ao processo de maturação – junto da metodologia alvinegra desenvolvida para a base com tecnologia e estrutura – o time forma um torcedor e novo ídolo. A identificação faz parte da criação, e Arthur movimenta o torcedor, se declara ao Ceará e promete retornar com status ainda maiores.

O case não é singular, existe e faz parte do planejamento estratégico das grandes gestões. Com planos de captação de talentos, oportunidades no profissional, acompanhamento com os diversos departamentos de evolução físico e técnico, times como Flamengo e São Paulo arrecadam milhões com jovens.

E ainda conseguem resultado no principal. No caso do centroavante do Vovô, nascido na Paraíba, participou do acesso à elite em 2017 e se coroou como ‘Rei’ ao ser artilheiro do time em 2018 durante participação na 1ª divisão.

Da safra de Arthur, com 22 anos, Felipe Jonatan (R$ 6 mi) e Artur Victor (R$ 6 mi) também representaram retorno econômico. A certeza sobre o acerto vem quando se mensura: investimento na aquisição da sede da base por R$ 8 mi, com manutenção da estrutura em R$ 250 mil mensais.

 

FONTE:DN

Veja Também