Nem o maior lockdown do mundo evitou explosão da Covid na Índia

Vizinho da China, o país agiu rápido e decretou o confinamento total de seus mais de 1,3 bilhão de habitantes no fim de março para tentar evitar a disseminação do novo coronavírus. A reabertura gradual começou em junho, e nas últimas semanas a Índia assistiu à escalada da doença e ao recorde no número de casos diários confirmados – foram 94 mil nesta segunda-feira. Agora, o país passou o Brasil no número de casos, são mais de 4,2 milhões, e é o terceiro em número de óbitos. Neste episódio, dois brasileiros que vivem no país relatam como foi viver um isolamento super restrito e como está a vida agora. E Márcio Gomes conversa com Fátima Marinho, epidemiologista da Vital Strategies, organização que auxilia 63 países no combate à pandemia e que esteve na Índia no começo de 2020. Fátima detalha as particularidades do sistema de saúde indiano, o que deu errado no lockdown por lá e os desafios de países pobres para frear a Covid-19.

Índia bateu o recorde diário global de novos casos de Covid-19 neste domingo (6) com mais de 90 mil notificações de infecções pelo coronavírus. Os dados são do Ministério da Saúde do país.

Neste domingo, o Brasil tem 10 mil casos a mais do que a Índia na soma de todas as infecções notificadas desde o começo da pandemia.

Assim, a Índia ficará atrás apenas dos Estados Unidos, que tem 6,4 milhões de casos e quase 193 mil mortes.

O número de óbitos causados pela doença na Índia chegou a mais de 70,6 mil. Os indianos são o terceiro povo com mais mortes, atrás de EUA (188,5 mil mortes) e Brasil (126 mil), de acordo com a universidade americana Johns Hopkins.

Segunda onda

 

A pandemia vive uma segunda onda em algumas partes do país, de acordo com especialistas médicos. O número de casos aumentou porque mais exames estão sendo feitos e houve uma liberação parcial das locomoções da população.

Na capital, Nova Delhi, os serviços de metrô serão parcialmente retomados a partir de segunda-feira.

O vírus se espalhou de grandes cidades para outras partes do país, disse Randeep Guleria, diretor do Instituto de Ciências Médicas da Índia em Nova Delhi, em entrevista ao India Today TV. O número de casos pode continuar a aumentar antes que a curva se estabilize, disse ele.

A Índia registra a maior carga diária de casos de coronavírus do mundo há quase um mês.

Fonte: G1.com

Veja Também