Categorias

Alunos da rede pública fazem vaquinha online para participar de olimpíada nacional de história

A preparação árdua de alunos da escola estadual Liceu do Conjunto Ceará está dando resultados. Cinco equipes do colégio foram classificadas para a etapa final da Olimpíada Nacional de História do Brasil (ONHB), que acontece em Campinas no mês de agosto. Tendo aulas preparatórias desde outubro do ano passado, sessões de estudo nas férias escolares e encontros duas vezes por semana para resolver as tarefas da competição, os 15 alunos conseguiram passar pelas cinco fases da ONHB e agora precisam de ajuda para viajar para São Paulo.
“A medalha seria uma conquista para a escola pública”, diz o professor de história e orientador de uma das equipes, Fabiano da Silva Sousa. O mentor afirma que o principal motivo de participar da olimpíada é trabalhar os temas como parte da formação humana e cidadã dos alunos. Em 2018, o assunto discutido pela ONHB foi direitos sociais e Justiça. “A lei também tem história, serve a determinados interesses. Eles têm que compreender que esses direitos são frutos da luta dos menos favorecidos”, explica o professor.
A sexta tarefa online que levou a classificação das equipes foi produzir um jornal veiculado na escola com notícias sobre a reforma da Previdência Social. Agora, a sétima e última fase da olimpíada será feita de forma presencial. Para participar, equipes do Brasil todo irão viajar para São Paulo daqui a dois meses. Entretanto, muitos dos alunos não têm condições financeiras para pagar translado, hospedagem e alimentação em outro estado.
De acordo com Fabiano, as equipes procuraram a Secretaria da Educação do Ceará (Seduc) para pedir financiamento das equipes. No entanto, a pasta teria afirmado que não teria como patrocinar todos, oferecendo ajuda de custo somente a alguns alunos. Para o professor, o auxílio não será suficiente. Além das equipes do colégio Liceu do Conjunto Ceará, mais cinco equipes da rede pública estadual estão concorrendo na final. O Ceará foi o estado que mais aprovou times para a ONHB, com 118 grupos.
A Seduc afirmou que recebeu as solicitações das escolas para a participação na olimpíada, mas que ainda estão em análise. Até o momento, nenhum parecer da secretaria foi emitido para as equipes. Enquanto isso, Fabiano e os times do Liceu resolveram criar uma vaquinha online para arrecadar o dinheiro da viagem o quanto antes. “Pelos nossos cálculos, pagar pelas despesas de todos os alunos e dos professores orientadores vai somar no mínimo R$ 25 mil, sem contar com alimentação”. Até o momento, somente R$ 500 foram arrecadados.
Em anos anteriores, a escola já conseguiu aprovação de outras equipes. A primeira vez que uma equipe foi finalista no Liceu foi em 2015, com três times indo para a final. Em 2017, alunos viajaram para Campinas para concorrer na última fase com ajuda de custo dada pelo Estado. Fabiano espera que o auxílio se repita. Ele conta que a adesão dos estudantes só aumenta e neste ano cerca de 55 equipes começaram a estudar juntas para a ONHB. Não seria a primeira vitória de alunos de escola pública do Ceará. Mesmo assim, para o Liceu a medalha seria prova de que, mesmo com as dificuldades, os alunos conseguem vencer com dedicação.
Redação JI    –    O Povo

Comentar Via Facebook

Comentários