Deputados faltam e votação de cobrança por tornozeleiras é adiada

Atlético/MG poupa Luan e mais quatro jogadores para duelo com o Ceará na Arena Castelão
3 de maio de 2019
Colombiano é preso por importunação sexual em Fortaleza
3 de maio de 2019

A Assembleia Legislativa do Ceará antecipou o encerramento da sessão desta sexta-feira, 3, por falta de quórum. Sem o número mínimo de deputados, projetos que estavam na pauta, como o que prevê a cobrança de presos pelo uso de tornozeleiras eletrônicas, foram adiados.

Apesar do dia de expediente normal na Casa, apenas dez parlamentares estavam presentes no plenário no momento em que a sessão foi derrubada. A contagem de deputados ocorreu após cobrança do deputado Soldado Noélio (Pros), que exigiu votação nominal dos projetos.

O deputado Elmano de Freitas (PT) chegou a criticar o colega pela cobrança de quórum, o acusando de querer barrar o avanço de matérias importantes para a população. “Eu até concordo com esse projeto, mas não vou abrir mão de minhas prerrogativas”, rebateu Noélio.

 

 

 

“Feriadão” informal

 

A ausência de deputados no plenário ocorreu sobretudo por conta do feriado do dia de trabalho, 1º, e porque a sessão de quinta-feira, 2, foi suspensa por conta da morte do ex-deputado Liaderson Pontes. Por conta disso, muitos deputados “prensaram” a sexta-feira.

Projeto das tornozeleiras estava previsto para ser votado no plenário nesta sexta-feira. A ideia do governo é fazer com que, no momento da instalação da tornozeleira, o preso assine um contrato de cessão com o governo se comprometendo a arcar com os custos do equipamento.

Caso deixe de pagar, o apenado não perderá o direito ao benefício nem voltará ao regime fechado, mas será inscrito na dívida ativa do Estado, podendo ser cobrado na Justiça. “É de todos conhecido o elevado custo anual do Estado com a aquisição e a manutenção de equipamentos de monitoração eletrônica”, justifica Camilo.

 

Fonte: O Povo

Atitude Online