Edinho diz que se recupera bem da lesão e espera voltar depois da Copa América

Ceará anuncia Sérgio Alves como novo técnico do time feminino
20 de junho de 2019
CSA fica distante de Ricardo Bueno com exigências contratuais: “fora da nossa realidade”
20 de junho de 2019

Há quase um mês longe dos gramados, tratando lesão no músculo adutor da coxa esquerda, o atacante Edinho falou da recuperação e do desejo de voltar a jogar. Em entrevista à TV Leão, o jogador disse que espera retornar já na partida do Fortaleza contra o Avaí, dia 13 de julho.

“Estou bem melhor, me recuperando bem. A fisioterapia me ajuda bastante a desenvolver rápido a lesão para voltar o quanto antes. Estou com saudades de voltar aos gramados”, disse Edinho. Ele se lesionou no dia 26 de maio, na partida contra o Vasco e desde então está sob os cuidados do departamento médico do Tricolor.

Questionado se terá condições de jogar depois da Copa América, o ponta-direita deu esperanças ao torcedor. “Espero que sim. E voltar fazendo gols seria maravilhoso”, projeta o atacante. O DM do Fortaleza concederá coletiva sobre a situação de todos os atletas lesionados na tarde desta quarta-feira, 19, e deve dar prazo para a liberação do atleta.

Tendo atuado em seis partidas das nove que o Leão disputou na Série A do Brasileiro até o momento, Edinho fez uma análise da campanha do time na competição. Ele acredita que a situação hoje (14º colocado, com 10 pontos ganhos) poderia ser melhor, pelo futebol apresentado.

“A gente deveria estar com mais pontos na frente, tropeçamos em alguns jogos, contra o Botafogo, por exemplo. Jogo contra o São Paulo também tivemos condições de ganhar. Nessa volta, espero que seja favorável. É concentrar no que a gente errou pra não errar mais”, avaliou.

Edinho comentou a identificação que tem com o Fortaleza e sobre o apoio da torcida, que consegue transmitir uma energia para quem está em campo, segundo ele. “Eu tenho um carinho enorme por esse clube, aqui consigo jogar, a torcida me ajuda a desenvolver o futebol e fico feliz por dar alegria à nação”, disse.

 

 

 

Fonte: O POVO