Inter e Athletico apostam no “bom e barato”, desbancam milionários e tentam coroar projeto

Com a aposta no “bom e barato”, Internacional e Athletico buscam coroar o projeto com o título da Copa do Brasil.

Colorado e Furacão colhem os frutos de contratações pontuais, algumas a longo prazo, e que dão um grande resultado desde então. Para chegaram à final, eles desbancaram times de investimentos milionários, como de Palmeiras e Flamengo, respectivamente.

As contratações mais caras do Inter foram em anos anteriores e de longo prazo. Em 2017, pagou 4 milhões de dólares (R$ 12,2 milhões na época) parcelados pelo zagueiro Victor Cuesta, então do Independiente, da Argentina. Um ano antes, desembolsou 11 milhões de dólares (R$ 35,8 milhões na época) pelo atacante Nico López.

Peças importantes do meio-campo, Edenílson chegou inicialmente por empréstimo e depois foi adquirido por R$ 5 milhões, enquanto Patrick teve R$ 2,3 milhões por 50% do passe ao Monte Azul. O atacante Paolo Guerrero veio do Flamengo após o fim do contrato, com pagamento apenas de luvas e salários.

Os principais investimentos do Athletico foram para o ataque. Marco Ruben veio por empréstimo do argentino Rosario Central por 200 mil dólares e tem a permanência para 2020 estipulada em 1,9 milhão de dólares (R$ 7,75 milhões). Já Rony chegou ao Rubro-Negro no ano passado, após imbróglio com o Albirex Niigata-JAP, com um contrato até 2021.

Em julho, o Furacão “abriu o bolso” e contratou o lateral-esquerdo Abner Vinícius, de 19 anos, revelação da Ponte Preta. Especula-se que o Rubro-Negro pagou a multa rescisória de R$ 10 milhões para ter o jovem, que veio para suprir a saída de Renan Lodi, vendido para o Atlético de Madrid. o lateral. A contratação do jogador é a mais cara da história do futebol paranaense.

Autor do gol no primeiro jogo da final, o volante Bruno Guimarães veio sem custo do Audax-SP, por empréstimo. Depois, o Furacão desembolsou R$ 800 mil para comprar o jogador. Então do time de aspirantes, ele se tornou um destaque e, nesta temporada, recusou uma oferta de 40 milhões de euros do futebol chinês. Outro titular, o zagueiro Robson Bambu assinou após o fim do contrato com o Santos. O Furacão conta ainda com três pratas da casa entre os titulares: o goleiro Santos, o lateral-direito Khellven e o zagueiro Léo Pereira. O último despertou interesse do Flamengo no início de 2019 e vem sendo observado por clubes europeus.

Fonte: GE

Veja Também