CE é o estado do Norte e Nordeste com maior número de casos de câncer entre crianças e adolescentes

O número de casos de câncer em crianças e adolescentes no Ceará é o maior das regiões Norte e Nordeste, de acordo com levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria com base em dados do Sistema Único de Saúde (SUS) registrados entre 2013 e novembro deste ano. Nesse período, o Estado acumulou 2.494 ocorrências, média equivalente a quase um caso por dia.

No Ceará, o maior aumento do número de diagnósticos aconteceu entre os anos de 2017 e 2018, com salto de 123%. A estatística foi significamente superior à média nacional nesse período, que registrou aumento de 83%. “Já houve tempo em que o câncer era considerado uma doença exclusiva da população adulta. O avanço da ciência e da tecnologia atestam que essa doença afeta crianças e adolescentes”, ressalta Luciana Rodrigues Silva, presidente da SBP.

Viviany de Oliveira, oncohematologista do Hospital Albert Sabin, não entendeu o aumento repentino no Estado, visto que o hospital concentra a maior parte dos casos de câncer infantil e não teve mudanças significativas nesse período, com cerca de 250 novos casos por ano. A especialista ainda questionou a veracidade dos dados compilados, apontando uma possível duplicidade de alguns registros.

Para ampliar a possibilidade do diagnóstico precoce no Estado, a Associação Peter Pan, em parceria com o Hospital Infantil Albert Sabin (Hias) e a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa), realiza um programa de treinamento para que oncologistas pediátricos do Albert Sabin capacitem outros profissionais da saúde para perceberem os primeiros indícios da presença do câncer infantil e encaminharem o paciente rapidamente para tratamento.

Carlos Artur da Costa, oncologista e responsável pelo departamento científico de Oncohematologia da Sociedade Cearense de Pediatria (Socep), aponta ainda que é necessário descentralizar as unidades de saúde que prestam o tratamento no Estado, concentradas majoritariamente na Capital. “É um transtorno para uma família viajar centenas de quilômetros para fazer um tratamento prolongado, que dura meses ou anos em boa parte dos casos”, lamenta.

A SBP alerta sobre a importância do diagnóstico precoce da doença, que mais mata nessa faixa etária. Para a presidente do órgão, os números confirmam a importância da detecção do câncer em seus estágios iniciais, o que melhora as chances de cura, aumenta a possibilidade de sobrevida e impacta na qualidade de vida dos pacientes.

“É fundamental valorizar as queixas das crianças e levá-las regularmente ao pediatra. Na maioria das vezes, elas sinalizam para doenças comuns da infância, mas em alguns casos pode ser uma condição mais séria. Infelizmente, baseado nos dados dos registros consolidados, muitos pacientes no Brasil ainda são encaminhados aos centros de tratamento com a doença em estágio avançado”, pontua.

Fonte: O Povo

Veja Também


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/wwfmat/public_html/novo/wp-includes/functions.php on line 4552