Com maior orçamento da história, Ceará vai dedicar 58,8% do valor com futebol; veja valores

A promessa do presidente do Ceará, Robinson de Castro, foi cumprida: o clube vai gastar 58,8% do orçamento com o departamento de futebol. Em reunião nesta quinta-feira (26), o Conselho Deliberativo do Vovô aprovou um montante bruto de R$ 100.424.786,98 para a temporada de 2020. Desses, R$ 59.099.551,67 foram estimados como custo do plantel profissional.

A receita é a maior da história do Alvinegro de Porangabuçu. Dentre o valor destinado ao time, R$ 52.322.833,32 serão dedicados ao elenco, R$ 4.229.766,67 para a comissão técnica e R$ 2.546.951,67 aos demais profissionais que trabalham no setor.

As cifras escancaram uma evolução em termos de gestão financeira, além do patamar que o clube alcançou com as seguidas permanências na Série A do Campeonato Brasileiro. Em 2018, por exemplo, o orçamento previsto foi de R$ 55 milhões, enquanto o início do ano registrou quantia de R$ 70 milhões – sendo R$ 46 mi dedicados ao futebol.

O crescimento percentual para o 3º ano na elite nacional é de 81%. Além do profissional, o clube prepara investimento de R$ 9.343.651,33 entre estrutura, categorias de base e modalidades como futsal e futebol feminino.

Ainda é cedo, mas 2020 se vislumbra mais positivo em Porangabuçu. Admitindo os erros da pífia campanha de 2019, a diretoria do Ceará idealizou uma nova configuração do departamento de futebol – com a chegada de um executivo e um gerente -, lançou a marca própria Vozão e ainda prometeu uma reformulação no elenco, que deve ganhar mais seis reforços.

É tempo de paciência, autocrítica e reflexão. O Alvinegro tem equilíbrio econômico, calendário competitivo e receita. O processo é de reconstrução para despontar com a grandeza que a torcida tem.

 

Fonte: Diário do Nordeste

Veja Também