Após segundo dia de protestos contra reitor , UFC afirma que vai identificar responsáveis

O segundo dia de cerimônia da colação de grau da Universidade Federal do Ceará (UFC) contou, mais uma vez, com protestos e vaias de estudantes contra o reitor Cândido Albuquerque. As manifestações nesta quarta-feira (15) assemelharam-se às realizadas no dia anterior durante o evento na Concha Acústica, no Bairro Benfica, em Fortaleza.

Candidato menos votado em consulta pública para o cargo, Albuquerque assumiu a reitoria após ser nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro, o que motivou protestos dos estudantes logo após a escolha, em agosto do ano passado.

Por meio de nota, a administração da UFC classificou os protestos como uma “atitude inconsequente de um pequeno grupo formado por professores e pessoas estranhas à própria comunidade acadêmica”. A Universidade asseverou ainda que vai aplicar medidas administrativas para identificar responsáveis, para que respondam por prejuízos materiais e imateriais causados pela interrupção à cerimônia.

Na hora de fazer o encerramento da cerimônia e conferir grau aos concludentes, Cândido Alburquerque também foi hostilizado. Seguranças da universidade fizeram um cordão de isolamento para resguardar a saída do reitor, que não fez o discurso final.

 

 

Candidato com menos votos

 

Cândido Albuquerque foi nomeado reitor da UFC por Jair Bolsonaro, mesmo não sendo o mais votado em consulta pública na universidade. — Foto: Camila Lima/Agência Diário

A nomeação de Cândido Albuquerque, anunciada em edição extra do Diário Oficial da União em 19 de agosto de 2019, contrariou a preferência de estudantes, professores e servidores tanto em consulta pública quanto na elaboração da lista tríplice elaborada pelo Conselho Universitário (Consuni).

O reitor escolhido por Jair Bolsonaro foi o terceiro colocado em uma consulta pública realizada com estudantes e professores da UFC. O mais votado, o então vice-reitor da UFC, Custódio Luís Silva de Almeida recebeu 7.772 votos na consulta enquanto Cândido recebeu 610 votos. O segundo colocado, Antônio Gomes de Souza Filho, chegou a receber 3.499 votos.

Já na listra tríplice, elaborada pelo Conselho Universitário para ser encaminhada à Presidência da República, Cândido Albuquerque foi o segundo mais votado, depois da desistência de Souza Filho. Custódio recebera 25 votos, contra nove de Albuquerque e oito da diretora do Campus de Crateús, Maria Elias Soares.

Em entrevista após assumir a reitoria, Cândido Albuquerque disse não há oposição expressiva contra ele.

“É um número muito pequeno de pessoas contra mim, a universidade é plural. É claro que há uma insatisfação, não existe unanimidade, mas estou estendendo a mão para todos na busca de união”, ponderou o novo reitor.

Fonte: G1/CE

Veja Também