Itapajé: Fogo do lixão se alastra e chega às margens da BR-222

O fogo no lixão de Itapajé continua a consumir o material depositado no local há dias. Mas nesta sexta-feira, dia 07 de agosto, a situação se agravou, as chamas invadiram terrenos arredores e o incêndio consome a vegetação às margens da BR-222, na altura do Sítio Jorge. Nesta manhã a fumaça tornou muito ruim a visibilidade de condutores de veículos que passavam pelo trecho, elevando os riscos de acidentes. O prejuízo maior, no entanto, é dos moradores dos povoamentos ao redor do lixão.

 

Muita fumaça e fuligem causam danos contínuos à saúde de todos, sobretudo de crianças, idosos e doentes crônicos. “A situação já passou de todos os limites, beira o insuportável. Muitos já querem deixar suas casas, mas não têm para onde ir. Ninguém quer comprar imóvel aqui pela proximidade com o lixão”, relatou um morador da cercania.

 

Fogo consome lixão de Itapajé
População do entorno sofre com a fumaça e a fuligem

 

Ainda não está claro se o fogo que queima o lixão há pelo menos duas semanas, e que agora se espalhou por outras áreas, foi causado por acidente ou provocado propositalmente. Em todo caso é preciso que as autoridades façam uma apuração para implicar eventuais responsáveis.

 

Outra medida importante é que o poder público, Governo do Estado e, sobretudo Prefeitura, façam investimentos no local de modo a reduzir riscos de futuros incêndios.  Uma medida paliativa e imediata seria fazer o manejo dos resíduos de modo a soterrá-los dentro de valas escavadas no próprio terreno do lixão. Uma camada de terra sobre a vala preenchida com lixo evitaria novos eventos do tipo.

 

O ideal, no entanto, é a realização de um investimento substancial para transformar o lugar em a terro sanitário, com estrutura necessária para o trabalho de catadores de recicláveis.

 

 

Veja Também