Categorias

Itapajé: Após dar “cotoco” em plenário, chamar vereadores de “malas” e dizer que são de “alta periculosidade”, Haroldo Mota é alvo de Ato de Censura na Câmara

 

 

A mesa diretora da Câmara Municipal de Vereadores decidiu aplicar Ato Normativo de Censura contra o vereador Haroldo Mota (PPS) por quebra do decoro parlamentar. De acordo com o termo de censura, na sessão legislativa do dia 07 de novembro, o referido parlamentar ao fazer uso do púlpito da Casa direcionou gesto obsceno contra um cidadão que assistia à sessão nas galerias da Câmara. Não bastasse isso, na sessão do dia 21 de novembro o alvo de desrespeito foram seus pares. Mota afirmou que só havia “malas” no parlamento. Disse ainda que “vereador serve para encher linguiça” e em mais um ataque aos seus colegas afirmou que os vereadores eram indivíduos de “alta periculosidade”.

 

A maior parte dos vereadores ofendidos defendia pelo menos uma suspensão temporária do mandato de Haroldo Mota, mas o regimento interno da Câmara prevê antes um Ato de Censura. A Casa não tem comissão de ética e os edis defendem a reformulação do regimento para que atos como esses não venham a ocorrer, ou caso aconteçam sejam exemplarmente punidos.

 

]Todos os vereadores foram favoráveis à advertência, porém, segundo o regimento, o documento é assinado apenas pela mesa diretora (segue cópia do documento). Assinaram o Ato Normativo 01/2018, os vereadores: Bruno Francisco (Presidente), João Camará (Vice-Presidente), Gláucia Araújo (1ª Secretária), Samuel da Saúde (2º Secretário) e Neutel Monteiro (Tesoureiro).

 

Comentar Via Facebook

Comentários